Marco de Canaveses: Associação das Coletividades pede criação de fundo de emergência para setor [C/ AUDIO]

FundoEmergencia_2020.04.28

A Associação das Coletividades do Marco de Canaveses quer um fundo de emergência destinado ao movimento associativo do concelho para fazer face às dificuldades impostas pela pandemia da Covid-19.

A associação auscultou as coletividades e diagnosticou “dificuldades na criação de receita pelo facho de sedes sociais e espaços culturais, recreativos e desportivos, e acumulação de dívida, por via da incapacidade de execução de iniciativas previstas no plano de atividades para 2020″, diz o presidente José Augusto Pereira.

Em face do momento extraordinário e de confinamento imposto pela pandemia causada pelo SARS-CoV-2, a Associação  das Coletividades pede a  intervenção do Município de Marco de Canaveses na “criação de um fundo de apoio ao movimento associativo para assegurar a sustentabilidade do setor”.

Para José Augusto Pereira, a isenção de taxas municipais (IMI e Lixo) e a atribuição dos apoios previstos para o ano 2020, mesmo para atividades não realizadas, “de forma a incentivar os dirigentes a reestruturar o modelo associativo da sua organização, dotando-a de mais robustez para enfrentar impactos futuros”.

 


José Augusto Pereira | Associação de Coletividades MCN