Marco de Canaveses: Aprovado projeto para recuperar Complexo Paroquial da Igreja de Santa Maria [C/AUDIO]

ComplexoParoquial_2020.04.02

Foi aprovado o projeto para a valorização do Complexo Paroquial da Igreja de Santa Maria no valor de um milhão e duzentos mil euros.

O financiamento resulta de uma candidatura ao ‘Programa Operacional Regional do Norte, NORTE 2020′ apresentada pela Câmara Municipal de Marco de Canaveses em parceria com a Fábrica da Igreja de Fornos e a Junta de Freguesia do Marco

O contrato assinado pelas partes tem a duração máxima de 24 meses e corresponde a um investimento total previsto de 1.226.028,98 euros,

A obra “é apoiada em 85% por fundos comunitários, os restantes 15%, que correspondem a cerca de 150 mil euros, serão repartidos pelo Município, com 101.886,25 euros, pela Fábrica da Igreja com 42.982,19 euros e pela Junta de Freguesia do Marco, com cinco mil euros”, revela a presidente da autarquia marcoense, Cristina Vieira.


“A intervenção de cariz infraestrutural incidirá nos edifícios já existentes, nomeadamente na Igreja, cuja construção decorreu entre 1994 e 1996, e no Centro Paroquial, construído entre 2004 e 2006, consistindo em intervenções de recuperação e conclusão de alguns trabalhos que à época não foi possível executar”, acrescenta.

Cristina Vieira considera que esta “é uma boa notícia” porque há condições financeiras para recuperar “uma obra emblemática, que é um marco na arquitetura religiosa contemporânea”.


“Nós recebemos milhares de turistas todos os anos que visitam esta igreja, que chegam de todo o lado do mundo. É uma das igrejas mais visitadas por ser uma obra arquitetónica do Siza Vieira. Por isso, é importante que tenhamos condições de dignificar todo este complexo, porque este espaço já estava num estado de degradação muito grande”, sustenta.

IgrejaSantaMaria_2020.04.02

Recentemente nomeado pároco de Santa Marinha de Fornos, em substituição de Fernando Coutinho, que solicitou dispensa das funções canónicas, Hermínio Pinto considera que a aprovação do projeto para a valorização do Complexo Paroquial da Igreja de Santa Maria “é, sem dúvida alguma, uma grande notícia”.


“Fui nomeado há dias por causa desta mesma obra que vai permitir intervencionar a igreja, que já está com problemas de infiltrações e do telhado, e também o centro paroquial, que está a precisar de obras urgentes de recuperação. Para além, de que toda área envolvente será melhorada”, adianta.


A Fábrica da Igreja terá de comparticipar a obra com cerca de 43 mil euros, valor que “está quase garantido”.

“O Padre Coutinho já fez esse trabalho antes de sair, que foi e é um ótimo trabalho que está ser feito pela comissão de obras e por outras pessoas que se têm empenhado imenso”, elogia.


As entidades promotoras têm 180 dias para lançar o procedimento concursal e dar início à obra, que tem o prazo máximo de execução de 24 meses. Cristina Vieira acredita que o inicio da intervenção pode arrancar ainda “no último trimestre deste ano”.