FUTEBOL: Vila Meã acusa AFP de ser “uma ditadura” e de não querer ouvir clubes [C/AUDIO]

DavidPinheiro1_2020.04.01

O presidente do Vila Meã, David Pinheiro, acusa a AF Porto de ser “uma ditadura” e de não querer escutar os clubes para encontrar uma solução para as competições seniores que estão suspensas desde 10 de março.

“A AF Porto tem que ser sensível ao que se está passar e não pode ser uma ditadura como tem vindo a ser. É uma ditadura em que o Dr. Lourenço Pinto se senta na sua cadeira de presidente e não ouve ninguém”, atira.

O líder do emblema do concelho de Amarante diz que a associação portuense “corta e cose como bem quer e lhe apetece”, revelando que logo no inicio do mês, e após falar com outros presidentes, encabeçou “um movimento” que solicitou com carácter de urgência uma reunião para debater o assunto, o “que até hoje ainda não aconteceu”.

“A associação, no mínimo, devia ouvir-nos. Eu já começo a não estranhar porque já me vou habituando. Não vale a pena gritar cá de fora porque lá dentro só chega a voz que quer ser ouvida”.

“Eu acho que todos a pensar conseguimos chegar mais longe, todos juntos conseguimos fazer coisas melhores, mas a AF Porto não tem essa abertura”, lamenta David Pinheiro.

“Se quisesse saber dos clubes ouvia-os. Quando foi pedida a reunião, esta questão não estava no ponto em que está hoje, podíamos ter conversado sobre isto e tínhamos minimizado os males para todas as equipas”, sustenta.


David Pinheiro diz que não tem “uma bola de cristal” que adivinha o futuro, mas acredita que o regresso das competições seniores esta temporada “não vai acontecer”.

“Na prática não será permitido por várias razões: a condição física dos jogadores, a incapacidade de manutenção dos atletas, sobretudo estrangeiros, por parte de alguns clubes e, além do mais, há atletas que têm compromissos e no mês de junho e julho não estarão disponíveis”, refere.

Antes da interrupção dos campeonatos, o Vila Meã já estava praticamente fora da luta pelos lugares de promoção, mas David Pinheiro lembra que o conjunto rubro-negro também fica a perder com o cancelamento das provas seniores já que ainda estava envolvido na Taça AFP, o que em caso de triunfo “colocaria o clube para o ano na Taça de Portugal”.

Ainda assim, compreende que alguns clubes mantenham “a esperança de conseguir o objetivo de subida de divisão”.


“É como digo, é uma questão em temos de conversar todos, porque há clubes que investiram bastante e estavam lá perto. Têm por isso o direito de se sentirem injustiçados se o campeonato acabar. Tem é que haver uma decisão e essa decisão não vai agradar a todos. Mas parece que a AFP quer agradar a todos”.

Recorde-se que Vila Meã já anunciou a dispensa de todo o plantel sénior, que disputa a Divisão de Elite. Uma tomada de posição que surge na sequência da indefinição da AF Porto sobre a continuidade das provas seniores.

Até ao momento aquele organismo apenas comunicou o cancelamento das competições jovens.