FUTEBOL: José Oliveira renova com o Aparecida FC: “Neste momento, não imagino ir à Vila Mítica como adversário” [C/AUDIO]

JoseOliveirarenovacao_2024.06.07

José Oliveira vai continuar a comandar o Aparecida FC na próxima temporada. O técnico, que conduziu o emblema do concelho de Lousada ao título de campeão da Divisão de Honra da Associação de Futebol do Porto (AF Porto) e à subida à Super Elite, acertou a renovação por mais um ano.

 

O treinador, de 46 anos, confessa que foi sondado por outros emblemas, mas garante que, neste momento, não se vê a orientar outro clube que não seja o Aparecida FC. Por isso, o acordo para o prolongamento de vínculo contratual ficou estabelecido em apenas “cinco segundos”.

“Não é por falta de respeito pelas outras oportunidades que surgiram, e que aproveito até para agradecer, mas não nos foi dada sequer a possibilidade de ouvir outras propostas, para nãos sermos deselegantes com o Aparecida FC, porque as pessoas do clube não mereciam isso. A direção do Aparecida FC acredita muito no nosso trabalho e, neste momento, não me imagino a visitar a Vila Mítica enquanto adversário. Portanto, o acordo foi muito fácil de alcançar. O presidente chegou à minha beira e resolvemos o assunto em cinco segundos”, revelou.


José Oliveira vai assim comandar o Aparecida FC na Super Elite, principal competição da AF Porto. O treinador reconhece que “as dificuldades vão ser muitas” e que seria “irrisório” almejar a algo mais do que a “manutenção”.

“Sabemos que vamos jogar com clubes históricos, mas o Aparecida também o é, embora sem o peso de alguns. Sabemos que as dificuldades são grandes, mas os adversários também as terão ao jogar com o Aparecida. Vamos olhar para cada jogo como o mais importante e vamos tentar assegurar a manutenção. Tudo o que dissesse daí para cima seria irrisório”, refere.


Aparecida_2024.06.07

O técnico assume que para atacar uma divisão tão competitiva como a Super Elite será necessário “mexer bastante” no plantel do conjunto do concelho de Lousada.

“Há jogadores que, por iniciativa própria querem mudar de clube. Outros, achamos que temos necessidade de mudar. Por isso, vamos mexer bastante no plantel. Vamos tentar manter uma estrutura com jogadores, que para minha felicidade, acreditam em mim há muito tempo. Depois de fecharmos o dossier das renovações, que ainda não está fechado, iremos partir para as contratações”, adiantou.


Título, subida e recordes: “A equipa foi eficiente e lutou muito”

CampeoesAparecida_2024.06.07

José Oliveira chegou ao comando técnico do Aparecida FC no inicio de junho do ano passado. Numa caminhada impressionante, levou o clube à conquista do título da Divisão de Honra e à promoção ao principal campeonato da AF Porto.

A equipa da Vila Mítica fechou a fase regular da Série 2 da Divisão de Honra com 88 pontos somados em 90 possíveis, resultado de 29 vitórias e um empate, em 30 jogos, ou seja, sem qualquer derrota, um feito inédito em Portugal, num campeonato de futebol sénior.

Além disso, a equipa verde e branca quebrou outros recordes da prova: mais golos marcados (111) e a defesa menos batida da história da competição (17).

Na fase de Apuramento de Campeão, em seis partidas, o Aparecida FC venceu quatro, empatou uma e sofreu uma derrota, apenas na última jornada, numa altura em que já tinha assegurado o título.

José Oliveira diz que a equipa da Vila Mítica conseguiu este feito, perante alguns adversários “que tinham muitos jogadores profissionais” nos seus plantéis, porque “foi muito eficiente e lutou muito”. E lembra que este sucesso “é fruto do trabalho de muita gente”.


“Tive um presidente como o Cristóvão Cunha, que deposita muita confiança em mim e dá-me muita liberdade para podermos trabalhar. Depois, tenho dois homens do meu lado, o Rui Amaral e o Rui Teixeira, que são de uma seriedade impressionaste. E também tive a sorte de ter e saber escolher bons jogadores, que acreditam muito naquilo que fazemos”, vincou.

José Oliveira: “Sou um treinador de quem se gosta muito ou nada”

JoseOliveira_2024.06.07

José Oliveira alcançou, ao leme do Aparecida FC, a quarta subida da carreira. Entre 2016 e 2019, levou o Marco 09 da 2.ª Divisão à Divisão de Elite. No palmarés, conta ainda com a conquista de uma Taça da AF Porto, ao serviço do Vila Caiz. O treinador não disfarça o orgulho pelo trajeto feito nos últimos anos.

“Fiz o que ninguém fez no Marco 09, que foi subir três vezes consecutivas. Fiz o que ninguém tinha feito em Vila Caiz, que foi levar o clube por duas vezes a uma final e dar-lhe o primeiro título oficial. E agora, demos o maior título de sempre ao Aparecida”, lembrou, admitindo que é um treinador “de quem se gosta muito ou de quem não se gosta nada”.


“Sou um treinador muito chato e muito exigente até à exaustão. Mas, depois, os resultados finais têm valido a pena”, concluiu.