FUTEBOL: Alpendorada quer época decidida “dentro de campo e até ao fim” [C/AUDIO]

FC Alpendorada_2020.04.07

O FC Alpendorada defende que a Associação de Futebol do Porto (AFP) deve reatar os seus campeonatos logo que possível. Ou seja, assim que estejam reunidas as condições sanitárias que permitam a realização de jogos sem colocar em causa a segurança de todos os agentes envolvidos.

O clube do concelho de Marco de Canaveses considera que ainda há espaço para realizar os cinco jogos que restam na fase regular da Divisão de Elite e, posteriormente, o play-off de promoção.

O dirigente do Alpendorada, Américo Costa, é da opinião de que a AFP “deve tentar levar o campeonato até ao fim e as subidas e descidas devem ser discutidas dentro de campo”.

“É aguardar o máximo possível, tomar uma decisão, por exemplo no final do mês de abril, e tentar o tudo por tudo para levar o campeonato até ao fim, para ser decidido dentro das quatro linhas, salvaguardando sempre a saúde dos atletas e dos membros de todas as equipas”, refere.


Recentemente, o presidente da associação portuense, Lourenço Pinto, expressou a ideia de que os jogos em falta poderão ser disputados no verão, “entre fins de junho e meados de julho”.

Uma solução que Américo Costa vê com bons olhos, acrescentando que “até se poderia jogar aos domingos e quartas-feiras para acabar o mais rápido possível” e ainda a tempo “de preparar a próxima época”.


Quando os campeonatos foram suspensos, no passado dia 10 de março, em virtude das medidas preventivas de combate à pandemia da Covid-19, o Alpendorada preparava-se para receber o Sobrado, adversário direto na luta pelo play-off de subida. Em caso de vitória, o conjunto azul e branco ascenderia ao segundo posto da tabela.

Américo Costa não esconde que o Alpendorada é contra o cancelamento da prova porque ainda ambiciona atingir a subida de divisão.

“O Alpendorada está, neste momento, a um ponto do segundo lugar. No próximo jogo recebe o segundo classificado e se ganhar fica nessa posição. Por isso, acho que não se pode deitar fora todo o planeamento e trabalho de uma época”, assume.


O dirigente azul e branco não coloca de lado a hipótese de suspensão definitiva dos campeonatos seniores, à semelhança do que sucedeu nas competições jovens, mas neste caso sustenta que “não pode haver nem subidas nem descidas”.

Clubes como Vila Meã e São Pedro da Cova já anunciaram a dispensa dos atletas dos respetivos plantéis. Uma tomada de posição que Américo Costa entende, mas infere que que esses mesmos clubes “só têm interesse em terminar o campeonato porque os seus objetivos estão cumpridos e não têm mais nada a ganhar esta época”.


“Cada equipa faz o que entender, mas acho que, neste momento, não há nada que indique que é possível dispensar os plantéis porque a associação não disse que o campeonato ia terminar. Se esses clubes estivessem na mesma posição do Alpendorada não teriam feito a mesma coisa”, argumenta.

A questão financeira tem sido outra das razões alegadas por alguns cubes para a anulação dos campeonatos. Américo Costa garante que esse não é um problema do conjunto do concelho de Marco de Canaveses porque “fez um orçamento para uma época e não para sete ou oito meses”.


“O Alpendorada tem condições para levar o campeonato até ao fim. Fez um orçamento dentro daquilo que podia gastar para fazer o campeonato completo”, conclui.