Paredes: PJ desmantela esquema fraudulento com fundos comunitários

PJ_2018.12.28Os sete detidos na operação “prazo final” da Policia Judiciária (PJ) devem ser presentes esta quinta-feira ao juiz do tribunal de Marco de Canaveses para aplicação das medidas de coação.

A investigação, que decorria há dois anos, culminou na quarta-feira, com a detenção de cinco homens e duas mulheres, envolvidos num esquema fraudulento com fundos comunitários.

O antigo dono de uma empresa com sede em Lordelo, Paredes, a mulher e o filho e uma ex-funcionária do serviço de Finanças de Paredes, que é actualmente jurista na Câmara local, estão entre os detidos.

Os outros detidos são um contabilista, um funcionário e um sócio-gerente de empresas criadas no seguimento da insolvência que terão agido como “testas de ferro”.

Segundo a investigação, “o principal suspeito geria as suas empresas de forma ruinosa, culminando tais procedimentos com a insolvência da principal sociedade, que deixou um passivo de cerca de 10 milhões de euros”.

Na operação policial que envolveu 70 investigadores da PJ e investigadores tributários da Direção de Finanças do Porto, foram realizadas mais de duas dezenas de buscas nos concelhos de Paredes, Paços de Ferreira, Vila Nova de Gaia, Vila do Conde, Santa Maria da Feira e Matosinhos, e foram apreendidas viaturas, equipamento informático, telemóveis e variada documentação de natureza contabilística, considerada com” interesse probatório”.