Marco/Baião: Autarcas pedem quarentena a trabalhadores transfronteiriços [C/AUDIO]

Trabalhadores_2020.03.19

A presidente da Câmara Municipal de Marco de Canaveses alertou para o regresso, nos últimos dias, de centenas de emigrantes ao concelho, e a necessidade de aquelas pessoas se submeterem a um período de quarentena voluntário, devido à Covid-19.

Cristina Vieira diz ter conhecimento, através de vários empresários, da chegada a Marco de Canaveses de “centenas de pessoas”, maioritariamente trabalhadores da construção civil que exercem atividade em países europeus onde se registam surtos de novo coronavírus, como Espanha, França e Suíça.

“Mais de mil pessoas que estavam a trabalhar fora regressaram, nestes últimos dias, para junto das suas famílias. Mas é preciso cautela e muita segurança, porque é muito importante que estas estas pessoas, dentro do seu circulo familiar, previnam o contágio”, diz.


Cristina Vieira assume estar preocupada com a situação. Refere não se saber se aqueles trabalhadores estão ou não infetados e, por isso, devem submeter-se voluntariamente a um período de quarentena.

“Sabemos que são muitos e em idade ativa. O apelo que eu faço é que tenham todos e mais alguns cuidados. É normal que queiram sair para socializar, mas é o que não podem fazer neste momento”, reforça.


A preocupação de Cristina Vieira é partilhada pelo presidente da Câmara Municipal de Baião.

Paulo Pereira sugere aos trabalhadores transfronteiriços que se submetam a um período de quarentena, de forma a evitar o eventual contágio entre a população baionense.

“Na nossa comunidade e nos concelhos vizinhos a incidência da Covid-19 é ainda muito baixa, mas os nossos conterrâneos que estão no estrangeiro e regressam ao nosso país devem ter um cuidado acrescido para não se constituírem focos de infeção, colocando em causa a sua própria vida e dos seus familiares”, alerta.


Entretanto, a autoridade de saúde nos concelhos do Baixo Tâmega determinou, devido à Covid-19, o isolamento profilático a todos os cidadãos que regressam do estrangeiro.

No documento, assinado por Ana Júlia Gouveia, delegada de saúde do território, determina que o isolamento se prolongue por 14 dias, “perante a atual situação epidemiológica da infeção por Covid-19”.

A medida abrange os concelhos do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Baixo Tâmega: Amarante, Baião, Celorico de Basto, Cinfães, Marco de Canaveses e Resende.