Marco de Canaveses: Passes mais baratos para habitantes da região do Tâmega e Sousa [C/AUDIO]

Trandev_2019.03.18

Os habitantes da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM) vão beneficiar de passes mais baratos a partir de 1 de maio.

A CIM fechou a proposta de adesão ao Programa de Apoio à Redução Tarifária (PART) financiado em 1,8 milhões de euros pelo Governo e definiu quatro medidas, duas destinadas ao financiamento de ações de apoio à redução tarifária nos transportes públicos coletivos e duas para o aumento da oferta de serviço e para extensão da rede.

Esta ação passa pelo estabelecimento de um teto máximo de 20 euros para os passes urbanos, 30 euros para os municipais e 40 euros para intermunicipais/inter-regionais.

Esta medida é de extrema importância para a região e em particular para o concelho de Marco de Canaveses, diz a presidente da Câmara, Cristina Vieira.

“Eu costumo dizer aos meus colegas da Comunidade Intermunicipal (CIM – TS), que talvez seja esta a medida mais importante das últimas décadas, que incide sobre a questão da coesão territorial e sobre a mobilidade”, revela.

A ação foi aprovada no passado dia 8 de março em sede de CIM, pelos presidentes de câmara dos 11 municípios.

“Esta é uma medida do atual Governo, aprovada através da lei do Orçamento do Estado de 2019 e que vai permitir, de facto, que as Comunidades Intermunicipais também façam a sua gestão de transportes, também designado por Programa de Apoio à Redução do Tarifário de Transportes Públicos”, acrescenta.

A autarca já tinha levantado a questão na recente visita a Marco de Canaveses, do Primeiro Ministro, António Costa, e do então Ministro das Infraestruturas, Pedro Marques.

“Já nessa altura sabíamos desta legislação e da importância que ela iria ter para os marcoenses. O que está em causa, é a criação do chamado passe CIM Tâmega e Sousa, em que existem tetos máximos para os passes. Ou seja, um teto máximo de 20€ para os urbanos, de 30€ para os passes municipais e de 40€ para os passes intermunicipais e inter-regionais, o que torna a viagem mais barata, para que se desloca todos os dias”, realça.

Na ótica de Cristina Vieira, esta medida pode, ainda, ser vista na perspetiva de tornar o território mais apelativo para quem quer fixar residência.

“Aqueles que andam à procura de habitação no centro do Porto, que está extremamente cara, podem vir viver para a área do Tâmega e Sousa e aqui comprarem as suas habitações, fazerem a sua vida e irem trabalhar para o Porto, como acontece hoje com os de Marco de Canaveses. Há aqui um duplo interesse e um duplo aspeto positivo, que eu queria referenciar em relação a esta questão dos passes”, frisa.

A outra medida passa pela criação de um lote de 10 bilhetes pré-comprados com redução tarifária de 50%.

Relativamente ao aumento da oferta de serviço e para a extensão da rede, a primeira ação será a conceção de um projeto-piloto com a designação “Rede Tâmega e Sousa – PART”, que visa o dimensionamento de uma rede de transportes entre as sedes dos municípios e o grande polo gerador de viagens, o Hospital Padre Américo, em Penafiel.

“Todos nós sabemos que o nosso hospital de referência é o Hospital Padre Américo. Sabemos que existem centenas de pessoas que todos os dias se deslocam para esta unidade hospitalar, quer seja por motivos de consulta, para visitar familiares, ou fazer exames. Há aqui um fluxo muito grande de pessoas. Pretende-se garantir mais viagens, com horários concertados também com o hospital”, conclui.

Estas ações deverão começar a produzir efeito a partir do próximo dia 1 de maio.

 


Cristina Vieira | Presidente da CM de Marco de Canaveses