Marco de Canaveses: Número de fogos ocorridos em 2019 é o mais baixo dos últimos cinco anos

FogosMCNV_Balamco_2019.11.26

O concelho do Marco de Canaveses registou, em 2019, 143 ocorrências de incêndios, o menor número desde 2014, ano em que se registaram 117 fogos rurais. Os dados disponíveis, mostram também que este ano é o segundo melhor desde 2001. 

O balanço da época de incêndio foi o tema principal da reunião da Comissão Municipal de Defesa da Floresta do Marco, que reuniu no dia 20 de Novembro as autoridades locais.

“A Comissão foi unânime em considerar 2019 como um ano positivo e em elogiar o esforço que fizemos na prevenção. Por exemplo, o investimento de cerca de 45 mil euros que fizemos na beneficiação de caminhos florestais foi considerada como fundamental por parte do Senhor Comandante dos Bombeiros Sérgio Silva”, revela Cristina Vieira, Presidente da Câmara Municipal.

Além da beneficiação dos caminhos florestais, o Serviço Municipal de Proteção Civil do Marco de Canaveses, em parceria com as autoridades, levou a cabo limpezas de terrenos, operacionalizou o programa Queima Segura, realizou ações de fogo controlado e ações de sensibilização que chegaram a quase duas mil pessoas, entre adultos e crianças.

Quanto às situações de incumprimento nas limpezas em torno das casas, foi realçado na reunião que a falta de dados dos prevaricadores nas queixas apresentadas atrasou ou impossibilitou a resolução de processos.

“É dever dos lesados identificar claramente nas suas queixas o nome e morada completos de cada um dos proprietários que têm os terrenos por limpar. A Câmara só pode dar garantias de resolução atempada se essa colaboração existir”, alerta Cristina Vieira.

Apesar do menor número de ocorrências este ano, a área ardida no concelho aumentou relativamente a 2018, em grande medida devido a dois incêndios: um em Paredes de Viadores e Manhuncelos e outro em Soalhães. Este último iniciou-se na localidade do Grilo, concelho de Baião.

Nesta reunião da Comissão Municipal de Defesa da Floresta, onde foram já debatidas estratégias de prevenção para 2020, participaram os técnicos do Serviço Municipal de Proteção Civil, os Comandantes dos Postos da GNR de Alpendorada e do Marco, o Comandante dos Bombeiros do Marco, representantes do Instituto da Conservação da Natureza e da Floresta, da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, da Associação Florestal de Entre Douro e Tâmega e representantes das juntas de freguesia.