Marco de Canaveses: Dificuldades técnicas atrasam trabalhos de eletrificação da Linha do Douro

MMC_2019.03.08Contrariando as anteriores previsões, o troço de Caíde a Marco de Canaveses da Linha do Douro só deverá reabrir a 1 de abril.

O prazo, anteriormente apontado, foi prolongado em mais de um mês, devido “a dificuldades técnicas em materializar os seccionamentos para a realização das injeções e preenchimento de vazios no extradorso do sustimento nos túneis de Caíde, Gaviarra e Campainha”, justificou o vice-presidente da Infraestruturas de Protugal (IP), Carlos Fernandes.

O responsável reuniu, em Marco de Canaveses, com autarcas de concelhos servidos por este troço de linha e responsáveis da Comboios de Portugal (CP), para informar das dificuldades encontradas em materializar a obra e do prolongamento do prazo da empreitada.

Entretanto, a reabertura da linha vai ser feita, ainda, com material circulante a diesel e vai permitir retomar a frequência de comboios anterior ao início das obras, com exceção do último comboio (00:10), cujo transbordo continuará a ser feito por autocarro, uma vez que os trabalhos vão prolongar-se no período noturno durante o mês de abril.

Quanto aos comboios elétricos, a CP garante que estão prontos para circular, assim que os trabalhos e vistorias estejam concluídos, o que se prevê que aconteça ainda no primeiro semestre de 2019.

“Estamos gratos e reconhecemos a disponibilidade e atenção dos dirigentes da IP e CP na rápida resolução de todas as complicações durante o decorrer das obras. Esta reunião foi muito proveitosa e todos os autarcas ficaram satisfeitos e elogiaram abertamente o facto de as duas entidades terem vindo ao nosso encontro com informação rigorosa, que nos ajuda também a prestar melhores esclarecimentos aos munícipes que estão condicionados nas suas viagens diárias, mas que no futuro vão usufruir de melhores condições de mobilidade”, disse Cristina Vieira, Presidente da Câmara do Marco de Canaveses, e anfitriã deste encontro.