FUTEBOL: Presidente do sindicato de jogadores reage ao caso Freamunde [C/AUDIO]

JoaquimEvangelista_2019.01.09

Joaquim Evangelista diz que o Freamunde é “uma maça podre” que está a contaminar o futebol português. É a reação do Presidente do Sindicato de Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF) à notícia avançado em 1ª mão pela Marcoense Fm, no último domingo, e que está a ter eco na generalidade da imprensa desportiva nacional.

Em causa a situação precária de 5 jogadores estrangeiros do emblema do concelho de Paços de Ferreira, que foram despejados de casa, na véspera do jogo com o Aliados de Lordelo, da 18ª jornada da Divisão de Elite da Associação de Futebol do Porto (AFP).

A denuncia partiu do treinador Pedro Barroso, durante a 2ª edição de ‘Grande Encontro’ da Marcoense Fm.

“Tenho 5 jogadores do plantel despejados de casa e três deles tiveram que dormir no meu gabinete. Quem deu o pequeno-almoço a estes jogadores fui eu, no próprio estádio. São coisas ridículas que estão a acontecer”, revelou.

“Há coisas incríveis que se estão a passar, que eu não gosto de mencionar, mas esta tinha de mencionar, porque depois, no momento em que estão a jogar, é-lhes cobrado todo o potencial que têm, e que não conseguem explanar em jogo, devido à instabilidade que vive no seio da equipa”.




Este caso mereceu o “repúdio” de Joaquim Evangelista que, em declarações à Agência Lusa, afirmou que o Freamunde “é uma nódoa negra no futebol português, é a maçã podre que está a descredibilizar o futebol”.

Já esta 5ª feira, à Rádio Renascença, o dirigente manifestou preocupação com a situação e defende que “é o momento de exigir às entidades competentes que tenham uma atenção especial e verifiquem o que se está a passar, porque está em causa a própria credibilidade das competições e a imagem do futebol”.


Joaquim Evangelista revela, ainda, que do “ponto de vista do incumprimento salarial, a situação não é grave no sentido de que não há um incumprimento elevado. Venceu-se agora o segundo mês. Obviamente que atendendo a que estamos a falar de salários baixos isso tem uma repercussão maior na vida destes jogadores, que são a maioria deles amadores”.

Evangelista está especialmente preocupado com os jogadores estrangeiros que “não têm, nesta altura, as condições de habitação e alimentação adequadas”.

“Temos estado a acompanhar a situação do ponto de vista jurídico, do ponto de vista da resposta financeira, em articulação com o capitão de equipa e com o treinador. Ainda ontem foi lá o nosso delegado para ver as condições dos cinco jogadores estrangeiros, e, portanto, desse ponto de vista haverá uma resposta adequada”, adiantou.

Entretanto, fonte oficial da direção do Freamunde, solicitando anonimato, confirmou ao MaisFutebol que a mão cheia de atletas passou as últimas quatro noites nos gabinetes do estádio, a primeira delas antes do jogo com o Aliados. Foram montadas camas para cada um, havendo balneários com chuveiros para banho e água quente.

A mesma fonte nega o despejo referido pelo treinador, frisando que a direção recebeu, sim, uma ameaça de despejo por alegado incumprimento da SAD presidida por Carlos Carvalho – que detém 70 por cento das ações – no pagamento da renda do apartamento onde residiam, até ao último sábado, os cinco futebolistas.

A direção recebeu um aviso de que aquela seria a última noite dos atletas na casa e, para evitar consequências maiores, garantem ter adaptado como solução temporária o Complexo Desportivo.

A mesma fonte da direção, que detém os restantes 30 por cento do Freamunde, admitiu que, neste momento, há dois meses de salários por liquidar: novembro e dezembro. Sublinham que parte de setembro e a totalidade de outubro já foi garantida por si, face ao incumprimento da SAD. E que a alimentação dos jogadores também tem estado a seu cargo.

A direção escusou-se a comentar as declarações do treinador Pedro Barroso, mas a fonte contactada pelo ‘MaisFutebol’ lamenta alguma incoerência do técnico no relato dos acontecimentos e promete um esclarecimento oficial para breve.

O caso despoletado pela Marcoense Fm, no último domingo, está a ter eco na imprensa regional (O Verdadeiro Olhar, Bancada Distrital, Imediato, Liga Amadora TV), nacional (Record, O Jogo, MaisFutebol, RR, JN, TVI, Público, Correio da Manhã) e até internacional (UOL).