FUTEBOL: Eurico Couto orienta Paredes pela quinta época consecutiva [C/AUDIO]

EuricoCouto_2020.06.30

Eurico Couto vai assumir o comando técnico do União de Paredes pela quinta temporada consecutiva. O treinador, de 35 anos, chegou a acordo para a renovação de contrato com a direção presidida por António Pedro Silva.

O União de Paredes estendeu a ligação com o treinador Eurico Couto por mais uma época desportiva. O acordo foi alcançado após António Pedro Silva ter sido reeleito como presidente da direção para um mandato de mais 3 anos, ou seja, até junho de 2023.

O técnico confessa que a sua continuidade esteve “num impasse”, mas “a partir do momento em que o presidente expôs aquilo que pretendia para o futuro, tornou-se mais fácil recusar as propostas que surgiram e aceitar o projeto do clube por mais um ano”.

Eurico Couto revela que recebeu convites de outros emblemas, mas considera que “não faria sentido” trocar um clube onde se sente bem por outro do mesmo patamar. “Não me pareceu que os projetos que me chegaram eram melhores do que aquele que o Paredes me ofereceu, por isso a minha continuidade”, sublinha.

Ainda assim, o treinador confidencia que, provavelmente, teria deixado o Paredes caso algumas das “abordagens” que recebeu de alguns clubes de divisões superiores tivessem resultado numa “proposta concreta”.


“Tive abordagens de clubes de outra dimensão. Naturalmente, se essas abordagens tivessem chegado a situações concretas, provavelmente seria o momento de sair”, admite.

Eurico Couto espera uma época particularmente complicada. Confessa que esperava maior contenção financeira por parte dos clubes que vão disputar o CdP, devido ao atual contexto da pandemia da Covid-19, mas a perceção que tem “é que está a acontecer precisamente o contrário”.

“Há um investimento muito grande de várias equipas e isso vai dificultar ainda mais a nossa tarefa”, refere. Como tal, o treinador recusa, no imediato, traçar objetivos para a nova temporada, embora assuma que vai tentar “melhorar o oitavo lugar da época anterior”.

Uma possível qualificação para a III Liga – prova recém-criada pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e que arrancará em 2021/2022 – é algo com o qual Eurico Couto não se compromete.

“Naturalmente, que toda a gente pensa na III Liga, mas a cada dia passa temos a noção que esse é um objetivo difícil de concretizar, porque percebemos claramente que estamos com dificuldades em combater os recursos financeiros dos outros clubes”, sustenta.


“Mas vamos focar-nos na nossa ideia, no nosso jogo, independentemente de termos um orçamento alto ou baixo. Acho que o mais importante é acreditarmos naquilo que somos capazes de fazer. Se vamos lutar por isso, vamos, mas sabemos que é muito difícil chegar a essa III Liga”, assume.

Eurico Couto lembra que o Paredes terá ainda de contornar a perda de “quatro ou cinco jogadores fundamentais dos últimos anos”.

Recorde-se que o guarda-redes Danny Carvalho rumou ao Fafe, o lateral-esquerdo Jorginho e o extremo Joel Barbosa foram contratados pelo Vila Meã, o médio Andrézinho regressou ao Amarante e o ponta-de-lança Everton assinou pelo Pedras Rubras.

“Vamos tentar manter a restante base do plantel, procurar colmatar estas saídas e acreditar que vamos, mais uma vez, fazer um bom trabalho”, diz.


Até ao momento, o União de Paredes acertou as renovações de contrato com os defesas Ema e Henrique, com os médios Tó Jó e Marcão e os avançados Nuno Martins, Madureira e Ismael.

Contratados estão dois reforços: o guarda-redes João Abreu (ex-Gil Vicente) e o avançado Jorge Gazela (ex-Benfica Castelo Branco).