FUTEBOL: Aparecida FC prepara estreia na Divisão Elite AF Porto [C/AUDIO]

Aparecida_2020.07.30

O Aparecida Futebol Clube vai estrear-se na Divisão de Elite da Associação de Futebol do Porto (AFP), na próxima temporada.

O emblema do concelho de Lousada fechou a época no terceiro lugar da série 2 da Divisão de Honra, mas foi convidado a ocupar a vaga do Tirsense na prova, depois dos “jesuítas” terem garantido a subida ao Campeonato de Portugal (CdP).

O treinador do Aparecida considera que a promoção “é um prémio justo” pela campanha realizada na época passada, que terminou mais cedo devido ao surto da Covid-19. Aliás, Helder Silva acredita que se o campeonato tivesse seguido o seu percurso normal, o clube teria mesmo assim assegurado a subida ao principal escalão da associação portuense.

“Acredito que, pelo momento de forma da equipa, poderíamos subir mais na tabela classificativa. O nosso ciclo negativo já tinha passado e acho que poderíamos chegar, pelo menos, ao segundo lugar. Tínhamos os mesmos pontos do Gens e ainda teríamos de jogar com o líder Felgueiras B ”, recorda.


Para a estreia na Divisão de Elite, Helder Silva reconhece que o Aparecida “ainda tem algumas carências”, e não terá os mesmos argumentos de outros adversários, mas assegura que “a direção tudo está a fazer para construir uma equipa capaz de honrar o nome do clube”.

O Aparecida parte para a nova temporada com o desejo de alcançar a permanência, mas Helder Silva admite que o “caminho” para lá chegar será sinuoso.


“Sei que vai ser difícil. Quando entramos num caminho que ainda não percorremos, todas as curvas são novidade. É uma estrada que vamos iniciar, vai ser um luta terrível, mas é daquelas guerras difíceis que nos dão ânimo e nos faz ter ambição para trabalhar cada vez mais”, refere.

O plantel do Aparecida foi alvo de uma profunda reestruturação. Apenas “12 jogadores transitam da época passada”. Foram contratados “11 reforços”.

“Tivemos de nos reestruturar. A época será longa e há lesões e castigos. Temos de estar preparados para ter um plantel que nos permita ter alternativas, se tivermos a ausência de três ou quatro jogadores. Estamos a tentar fazer uma equipa equilibrada porque o campeonato assim o exige. Queremos um plantel com 23 jogadores com capacidade para jogar”.


Helder Silva aguarda por campeonato “muito forte”. Sem apontar nomes, considera que “há um núcleo de equipas que, tal como em anos anteriores, vão andar nos seis, sete primeiros lugares”. “Mas também há outras equipas de menor dimensão que também estão a fazer planteis incríveis”.

No entanto, o treinador ressalva que “não são os orçamentos que ganham jogos”. “Há vários exemplos de equipas de baixo calibre a fazerem grandes campeonatos. Não são os orçamentos que ganham campeonatos. Ajudam a fazer grandes plantéis. Mas as equipas constroem-se no treino e no balneário, e é isso que vamos tentar fazer”.


O Aparecida vai reencontrar na Divisão de Elite alguns clubes considerados rivais devido à proximidade geográfica. Helder Silva reconhece que “jogos com Lousada, Vila Meã ou Lixa são de cariz especial”, mas sublinha que que a equipa terá de “abstrair-se” da carga emocional inerente a esses dérbis regionais.


Helder Silva também vai estrear-se, enquanto treinador, no campeonato máximo da AF Porto. “Estou tranquilo, não estou efusivo. Tenho é que pensar na equipa e ver qual é a melhor forma para contrariar os adversários”, adianta o técnico de 40 anos.