Baião: Autarquia reconhece entidades e colaboradores no Dia do Município

DIAMUNICIPIO_BAIAO_2019.03.25A Assembleia e a Câmara Municipal de Baião promoveram conjuntamente as Comemorações do Dia do Município, que se realizaram no dia 23 de março.

A celebração do Dia do Município foi concebida pela Câmara Municipal de Baião em 2017, altura em que se assinalaram os 950 anos da existência de um documento histórico de grande importância alusivo ao concelho.

A data das comemorações refere-se, assim, à referência documental mais antiga de que há conhecimento sobre o concelho de Baião: um diploma datado de 24 de março de 1066 que estabelece a doação de oito “villae” situadas na terra de “Bayan” ao rei Garcia, da Galiza. Foi precisamente isso que explicou e enquadrou o arqueólogo António Lima, na sessão da manhã.

O programa incluiu a atribuição de distinções honoríficas, como forma de reconhecimento a várias entidades singulares ou coletivas e distribuíram-se por três áreas: Medalhas de Distinção Profissional ao Serviço do Município, para colaboradores do município; Medalhas de Mérito do Município a Entidades com mais de 25 anos de atividade de relevo no concelho; e as Medalhas de Mérito do Município de âmbito cívico, social, empresarial, desportivo e cultural.

Durante a cerimónia foi ainda possível ouvir a atuação conjunta das bandas de música Marcial de Ancede e da Casa do Povo de Santa Marinha do Zêzere e ver, em primeira mão, o novo vídeo promocional produzido pela autarquia que dá pelo nome de “Terras de Afetos”.

Paulo Pereira, presidente da Câmara Municipal de Baião, dirigiu-se aos presentes lembrando a importância destas comemorações que permitem “enaltecer a riqueza histórica e cultural do nosso concelho, o orgulho que temos pela nossa terra e pelas nossas gentes, aproveitando, também, para homenagear individualidades e instituições que, em diversas áreas, se destacam ou destacaram de forma altamente meritória na sua ação, tornando-se, por isso, exemplos para todos nós”.

O mesmo pensa José Luís Carneiro, presidente da Assembleia Municipal de Baião (AMB), que não esteve presente na cerimónia por compromissos de força maior relacionados com a tragédia que se abateu sobre Moçambique, mas que enviou umas palavras escritas que foram lidas pelo segundo secretário da AMB, Armando Fonseca, onde reforça “a importância desta iniciativa que valoriza a História da nossa terra e os cidadãos que se têm distinguido pelo seu mérito social, cultural, económico e institucional.”.

No entanto, foi a entrega das distinções honorificas que acabou por ser o momento alto da cerimónia, com o Mosteiro de Santo André em Ancede como pano de fundo.

Alexandre Ferreira Cabral de Barbosa Campelo de Lozada e Fernando Manuel de Jesus foram condecorados com a medalha de mérito cívico. O primeiro, pelo seu papel preponderante na vida cívica de Baião, através da prática de atos de grande valor, coragem e abnegação em prol da comunidade, e o segundo pelo facto de ao longo dos anos ter desenvolvido um importante trabalho de influência em questões de interesse para a região, destacando-se mais recentemente a sua luta para que o projeto de ligação de Baião à Ponte da Ermida se torne uma realidade.

Palmira da Fonseca Firmino e Maria Helena Monteiro foram distinguidas com a medalha de mérito social pelo seu papel preponderante na promoção do bem-estar e melhoria das condições de vida da população em geral e em especial dos cidadãos do município mais carenciados e fragilizados, ajudando na concretização de valores como a justiça, a solidariedade, a igualdade e o respeito pela diferença, na defesa dos direitos cívicos e sociais de uma comunidade mais coesa e inclusiva.

Álvaro Carrilho Belo foi distinguido com a medalha de mérito empresarial pelo seu papel  na promoção do desenvolvimento económico e social do município, reforço do tecido empresarial e aumento do emprego, através da empresa Indumeca, que completou, em 2018, 40 anos de existência. Uma empresa de referência do concelho de Baião, tendo sido distinguida com vários prémios de desempenho.

Ricardo José Vaz Alves Monteiro (Tarantini) foi agraciado com a medalha de mérito desportivo pelo seu percurso desportivo e ações de cidadania que tem levado a cabo, destacando-se a recente atribuição do Prémio de Ética no Desporto.

As medalhas de mérito cultural foram para António Ribeiro da Mota pelo seu papel preponderante na promoção da cultura e da literatura portuguesa, ao longo dos seus 40 anos de carreira e António Manuel de Almeida Cipriano Miranda, pelo papel na preservação e promoção da cultura, destacando-se a doação de um conjunto de 23 peças de escultura e de pintura que representam diversos períodos históricos e artísticos, enquadráveis cronologicamente entre os séculos XVI e XIX, que permitiu criar o Núcleo de Arte Sacra, instalado no Mosteiro de Santo André de Ancede.

As distinções de Mérito do Município a Entidades com mais de 25 anos de atividade de relevo no concelho foram entregues à Cooperativa Agrícola de Baião e à DOLMEN – Cooperativa de Formação, Educação e Desenvolvimento do Baixo Tâmega, pelo seu importante papel no apoio à atividade económica e empresarial no nosso concelho.

Com as Medalhas de Distinção Profissional ao Serviço do Município foram ainda distinguidos os profissionais da autarquia com um tempo de serviço de 25 a 34 anos, e com mais de 35 anos.